Importação cresce 14% nos portos paranaenses

Trigo e malte são as commodities que mais cresceram nos cinco primeiros meses de 2024

Os primeiros cinco meses deste ano registraram um aumento de movimentação de cargas para importação nos portos paranaenses. Houve um crescimento de 14% em relação a 2023, passando de 9.074.119 toneladas para 10.335.801 toneladas movimentadas de janeiro a maio de 2024. “O crescimento na importação mostra que temos estrutura e logística eficientes para operar estas cargas e atender a demanda de mercado”, pontuou o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Entre as commodities que mais cresceram no período está o trigo, um dos principais cereais utilizados na alimentação humana e animal. Com alta de 28% na movimentação, passou de 134.607 toneladas no ano passado para 171.849 toneladas este ano. O principal responsável por este crescimento foi a baixa qualidade do produto colhido no País na última safra.

Este ano o Brasil está importando mais trigo, mas está exportando bastante também. O trigo de baixa qualidade, que não se usa aqui, vira ração em outros países. O que acaba tornando um movimento incomum de o Brasil exportar trigo, já que o país não é autossuficiente na produção deste cereal. Além disso, a produção vem crescendo também.

Outra carga que apresentou aumento de movimentação foi o malte, produzido através da cevada, que é de extrema importância para a indústria cervejeira nacional. A importação do produto passou de 215.906 toneladas no ano passado para 227.357 toneladas movimentadas este ano (5%).

A movimentação de contêineres também subiu de 231.269 TEUs (medida para 20 pés de comprimento de contêiner) para 320.054 TEUs (38%). Os eletroeletrônicos, químicos e automotivos foram as cargas responsáveis por este aumento.

“As estratégias logísticas permitem uma maior movimentação de cargas e agilidade na atracação e desatracação dos navios, mantendo a eficiência e aumentando a produtividade”, pontuou o diretor de Operações, Gabriel Vieira.

Os fertilizantes apresentaram estabilidade na movimentação do período, com 3.924.545 toneladas, em 2023, para 3.903.832 toneladas de janeiro a maio (-1%). O Paraná segue como a principal porta de entrada da commodity no Brasil. Atualmente, a capacidade estática de armazenagem passa de 3,5 milhões de toneladas de fertilizantes.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.