Zoonoses alerta população sobre os riscos dos morcegos em PG

A Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Central de Zoonoses, alerta e orienta a população sobre o risco da presença ativa de morcegos no município, o que costuma ser comum nos períodos mais quentes do ano. O setor de Zoonoses aconselha que a captura dos animais não seja realizada sem material de proteção, como luvas, ou sem acionamento de equipe especializada. Do contrário, há o risco de acidentes como arranhões e mordidas.

“Acidentes com morcegos são considerados graves e necessitam de que a pessoa ferida seja encaminhada diretamente para pronto atendimento hospitalar”, destaca o gerente da Central de Zoonoses de Ponta Grossa, Leandro Inglês.

Caso um morcego seja encontrado dentro de residência ou estabelecimento comercial, o munícipe deve acionar a Central de Zoonoses, em horário comercial, por meio do telefone: (42) 3220-1000 (Ramais: 4094 ou 4095).

“Nós vamos até o local para a retirada desses animais desde que estejam em local de fácil acesso. Não retiramos quando os animais estão sob telhados e forros. Nesses casos, orientamos como deve ser feito o desalojamento correto dos morcegos”, explica.

Captura

Inglês conta que, no período noturno, a melhor forma de retirada é com uso de uma caixa de sapatos. “A pessoa deve colocar a caixa em cima do animal e posicionar a tampa reta por baixo da caixa para fechar o morcego dentro da caixa de sapato. No dia seguinte, basta entrar em contato com a Central de Zoonoses para fazermos o recolhimento ou soltá-lo em ambiente aberto”, aconselha.

A orientação é para que os morcegos não sejam mortos indiscriminadamente, pois a maioria das espécies é benéfica ao homem e à natureza. De maneira geral, acidentes ocorrem quando os animais são perturbados. Se estiverem contaminados, os morcegos podem transmitir a raiva – doença que pode ser fatal em caso de ausência de tratamento apropriado.

Evitar riscos dos morcegos:

– Observar onde estão localizados os morcegos. A presença de fezes e ruídos podem auxiliar a localização;

– Verificar os espaços abertos por onde os morcegos saem e entram, e os horários nos quais isto ocorre;

– Vedar de modo permanente as demais aberturas existentes, deixando somente aquelas utilizadas pelos morcegos;

– Aguardar, no horário estabelecido, a saída dos morcegos e vedar essas aberturas com material provisório (jornais ou panos). Os morcegos que saírem estarão impossibilitados de retornar aos abrigos. No mesmo horário do dia seguinte, retire o material provisório, permitindo a saída dos morcegos que tenham, eventualmente, permanecido no abrigo;

– Vedar definitivamente as aberturas de entrada e saída de morcegos;

– Juntas de dilatação dos prédios devem ser vedadas com material apropriado.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.