Novas mensagens revelam contradição de suspeito pelo desaparecimento de Ísis, em Tibagi

As autoridades do Paraná seguem em busca da adolescente Ísis Victoria Mizerski, de 17 anos, que desapareceu no dia 6 de junho, em Tibagi, nos Campos Gerais. Nesta quarta-feira (19), a equipe da RICtv esteve novamente no município onde a menina foi vista pela última vez e conversou com familiares. Em novas mensagens, mostradas por moradores, o suspeito Marcos Vagner de Souza se contradiz.

Um tio de Ísis mostrou no celular uma troca de mensagens com Marcos, no dia 6 de junho. A jovem saiu de casa no início da noite do mesmo dia e foi flagrada por uma câmera de segurança às 18h15. Mais tarde, por volta das 23h22, o tio de Ísis questionou o vigilante em um aplicativo de mensagens.

“Minha sobrinha está grávida de você e contou que você falou para tirar o filho, e ela sumiu hoje… Eu tô indo na polícia resolver isso”, escreveu o tio. Na sequência, o principal suspeito respondeu “como assim”. E depois, ao ser informado novamente do desaparecimento, contou que “não estou sabendo nada irmão”.

Veja a sequência de mensagens:

Print mostra conversa entre tio de Ísis e vigilante suspeito (Foto: Reprodução/ RICtv)

Mais tarde, já na madrugada do dia 7 de junho, o tio voltou a questionar o suspeito, que tinha revelado que a última vez que encontrou Ísis era em maio. Porém, durante a investigação, Marcos revelou que esteve com Ísis na noite do dia 6 de junho. Veja outras mensagens:

Resposta de Marcos para tio de Ísis (Foto: Reprodução/ RICtv)

Resposta de Marcos para tio de Ísis (Foto: Reprodução/ RICtv)

Nesta quinta-feira (20), as buscas por Ísis entram no 14º dia. A expectativa é que uma nova área de mata seja vistoriada, com auxílio de cães farejadores e de profissionais do Corpo de Bombeiros. O principal suspeito pelo desaparecimento da jovem está preso em Ponta Grossa.

Família de Ísis oferece recompensa

Uma familiar de Ísis publicou nesta terça-feira (18) que oferece recompensa de R$ 1 mil para qualquer informação sobre o paradeiro da adolescente. A jovem saiu para um encontro com Marcos na noite do dia 6 de junho e não retornou para casa.

A principal suspeita é que a motivação do encontro era para os envolvidos conversarem sobre a gravidez de Ísis. A adolescente contou apenas para uma irmã e uma prima sobre a gestação.

O principal suspeito tem 35 anos, é casado e pai de três filhos. Marcos trabalha como vigilante, e teria admitido que teve uma relação com Ísis. Ele é quem teria chamado a jovem para um encontro na noite do desaparecimento.

“Ele havia trocado mensagem com a Ísis para se encontrar nesse local perto do cemitério da cidade para resolver a situação. Assim se confirma que ela estava grávida”, complementa o delegado, que destaca uma mensagem (que mostrava sua localização) que Ísis mandou para a mãe e apagou em seguida como peça-chave para as investigações.

“Essa mensagem para mim é fundamental. Para mim ali é um pedido de socorro, quando ela manda essa localização para a mãe, ali ela já estaria em situação de perigo. E logo após esse aparelho celular foi desligado e não tem comunicação desde o momento em que ela mandou a mensagem”, conclui o delegado, que afirma ainda que o suspeito entrou em contradição sobre esse assunto em seu depoimento.

Agora a polícia realiza perícias no celular, no computador e no carro do suspeito em buscas de indícios que possam apontar o paradeiro de Ísis. A defesa do suspeito afirmou em nota que “têm total convicção da inocência de seu cliente”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.