COM GOL NO FINAL OPERÁRIO TRAZ UM PONTO DO NORTE DO BRASIL

Fantasma manteve o terceiro lugar na classificação

Diomar Guimarães é o colunista do Operário Ferroviário no PG em Destaque

Atuando na tarde deste domingo(30) em Belém do Pará, diante mais de 15.000 torcedores que lotaram o Estádio da Curuzu, o Operário Ferroviário empatou em 1×1 contra o Paysandu. Com o resultado, o alvinegro se mantém, pelo menos até amanhã, na terceira colocação. Caso nesta segunda-feira o Santos vença a Chapecoense na Vila Belmiro, o Operário, ao final da rodada, será o quarto colocado.

O Operário fez um ótimo jogo, teve presença ofensiva, finalizando 25 vezes contra o gol defendido por Diego Silva, considerado pela imprensa em geral o nome do jogo. Um pênalti infantil, cometido pelo volante Índio, fora do lance de bola, fez com o que o árbitro de vídeo Elmo Alves Rezende Cunha (GO), chamasse a atenção do árbitro central, Sávio Pereira Sampaio para que ele revisasse o lance. Feito isso, o árbitro confirmou a falta dentro da área, apontando a penalidade máxima que foi convertida pelo volante João Vieira.

Até então o Paysandu não havia incomodado a meta defendida por Rafael Santos. Nos quinze minutos restantes do primeiro tempo o jogo ficou muito truncado, terminando com a vantagem bicolor. No segundo tempo Rafael Guanaes voltou com duas alterações. Tirou o lateral-direito Santiago, que já estava com o cartão amarelo, colocando Sávio em seu lugar.

E sacou o volante Jacy, que por conta de um choque de cabeça com um adversário, sentindo tonturas e dores de cabeça, teve que sair do jogo. Em seu lugar entrou Vinícius Diniz.

Em dez minutos da segunda etapa, o Operário já havia finalizado cinco vezes contra o gol do Paysandu, através de Vinícius Diniz, três vezes, Rodrigo Rodrigues, uma vez, e Felipe Augusto a outra.

O Fantasma dominou amplamente a segunda etapa. E Rafael Guanaes alimentou os lados do campo, retirando Pedro Lucas e Ronaldo para as entradas de Felipe Claudino e Ronald. E na última parada tirou Felipe Augusto e Índio para as entradas de Guilherme Pira e Neto Paraíba.

Com um time bem ofensivo, de tanto insistir, encontrou seu gol aos 42 minutos do segundo tempo. Jogada pela esquerda, em cruzamento de Pará, Vinícius Diniz dominou dentro da área e serviu Ronald (foto), que em chute cruzado e bem colocado empatou o jogo para o Operário.
Como anormalidade tivemos seis substituições em cada equipe. Como a contusão do volante Jacy foi na cabeça, cada time teve a oportunidade de fazer uma alteração a mais.

O Operário utilizou: Rafael Santos; Santiago(Sávio), Joseph, William Machado e Pará; Índio (Neto Paraíba), Jacy (Vinícius Diniz) e Pedro Lucas (Filipe Claudino); Rodrigo Rodrigues, Ronaldo (Ronald) e Felipe Augusto(Guilherme Pira).

O Paysandu foi com: Diego Silva; Edílson (Michel Macedo), Wanderson, Carlão e Kevin; João Vieira (Wesley), Val Soares (Christofer), Juninho (Netinho) e Esly Garcia( Vinícius Leite); Jean Dias (Edinho) e Nicolas.

Arbitragem de Sávio Pereira Sampaio (SP); Assistente 1 – Lucas Costa Modesto(DF) e Assistente 2 – Schumacher Marques Gomes(PB). VAR – Elmo Alves Rezende Cunha (GO)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.